Arquivo | junho, 2010

SPFW – 5º dia

30 jun

Domingo, 13 de Junho de 2010.

Do Estilista

Marcelo Sommer – estilista da marca – preproduziu um Saloon do Velho Oeste reforçando o tema “O nomadismo cigano”.

Neon

A Neon de Dudu Berthlini e Rita Comparato, definitivamente, apresentou uma coleção arrasante.

João Pimenta

“Em sua estréia no SPFW João Pimenta tirou lágrimas dos convidados. Ovacionado, colocou na passarela uma de suas coleções mais maduras. Olhando para chegada da família Real portuguesa ao Brasil, misturou surfe com barroco, com erotismo S&M, e sai na contramão do minimalismo, seguindo seu próprio caminho.” (Extraído do portal FFW)


Paola Robba

Sme inovações e arriscos, o beachwear de Paola Robba trouxe simplicidade e falta de novidades.

Amapô

Inspiração nas festas regionais do nosso Brasil.

Mario Queiroz

Tecidos leves, típicos para o verão, um desfile “delicioso” que busca referências turcas.

Colcci

Transparência é o que há no verão 2011 da Colcci.

Anúncios

SPFW – 4º dia

30 jun

Sábado, 12 de Junho.

Reinaldo Lourenço

Sua referência é o automobilismo.

Jefferson Kulig

Como inspiração inicial, o estilista, teve o filme Transformers – de Michael Bay – indo até estampas da bandeira nacional, porém, sua coleção decaiu em relação as passadas.

Animale

Após tantos “erros” e experimentos infelizes, finalmente, a Animale apresentou uma coleção equílibrada entre a experiência e o conceito.

Ana Salazar

Numa coleção recheada de transparências, rendas, couros, zípers e, basicamente formada por preto e branco, eu hesitei eu cogitar uma inspiração “rock-gótica”.

Adriana Degreas

“A moda praia de Adriana Degreas não é bem para praia. Segundo a estilista, são peças para private pool parties – aquelas festas lascivas e cheias de erotismo, disseminadas nos anos 1930 e 40, como explica Ignácio de Loyola Brandão no release de imprensa. Algo como Gatsby, Ava Gardner semi-nua no Copacaban Palace, ou Marlene Dietrich nua na piscina da casa do escritor Ernest Hemingway, em Havana. Isso já deve dar conta de explicar a vibe Hollywood Golden Age, traduzida principalmente nos tops com bojo, muitas vezes texturizados e combinados com hotpants.” (Extraído do portal FFW)


Lino Villaventura

Por ser um criador totalmente original, sua coleção caiu – um tanto – na mesmice e não surpreendeu, apesar de todos seus méritos estilísticos.

SPFW – 3º dia

27 jun

Sexta-feira, 11 de Junho.

Cavalera

Comemorando seus 15 anos, a Cavalera traz uma coleção inspirada no galm rock, ou seja, uma coleção com clima de festa de  debutantes sem imprimir um aspecto careta.

Maria Bonita

Com uma simplicidade demasiada, Danielle Jensen, traz para sua coleção a arquitetura do norte e do nordeste do Brasil.

Wilson Ranieri

Boa dominação de moulage, uma das melhores coleções do jovem estilista.

Movimento

Inspirada no trabalho do fotógrafo americano Peter Beard, a estilista Tininha mostra estampas maravilhosas que podem durar verões e verões.

Simone Nunes

Repertório renovado, percebe-se certas misturas que, por sinal, deram certo.

Samuel Cirnansck

Apesar das críticas, eu gostei da coleção do Samuel. O clima Halloween trouxe alegria para as peças da coleção coloridíssima.

FH por Fause Haten

Após ter perdido o direito de seu nome como marca, seu desfile já não tem tanta importância como em momentos passados. Suas consumidoras vêem na passarela, exatamente, o que poderão comprar na loja.

SPFW – 2º dia

27 jun

O segundo dia de SPFW aconteceu na quinta-feira, dia 10/06.

Iódice

Nesta temporada, o estilista da marca, quis trabalhar com uma “sensualidade elegante”, a qual não manteve equílibrio com o lado sexy da coleção.

Ellus

A marca resolveu refrescar seu estilo, buscando um pouco do Havaí e do navy.

Água de Coco

Uma sequência de beachwear com referências que remetem ao Modernismo, e grafismos de Filipe Jardim.

Alexandre Herchcovitch (FEM)

A melhor resenha sobre a perfeição da coleção feminina de Herchcovitch se encontra aqui: http://ffw.com.br/desfiles/sao-paulo/verao-2011-rtw/alexandre-herchcovitch/review/

Cori

“Coco Chanel costumava dizer que volumes e decorações deviam sempre ter uma razão de ser. E no verão 2011 da Cori, essa razão foi quase inexistente.” (Extraído do site FFW)

Osklen

Com uma seqüência aleatória de looks, acabou perdendo a criação de uma imagem de moda. O mergulho no azul trouxe um certo tédio à passarela, uma coleção sem brilho algum.

Triton

Embalada pela diversão das festas e, querendo mostrar de que se tratava sua nova coleção, a Triton convidou uma das party monters do mundo, Paris Hilton, para estrelar na passarela do SPFW.

SPFW – 1º dia

13 jun

Na última quarta-feira, dia 09.06, teve  início o primeiro dia de Sao Paulo Fashion Week – SPFW. A Tufi Duek, primeira vez sem “Forum” na frente do nome, abriu a semana de desfiles. Logo depois Erika Ikezili, Priscilla Darolt, Rosa Chá (de Alexandre Herchcovitch), Reserva e Cia Maritima.

Tufi Duek

Sou uma pessoa que ainda não entende NADA de tecidos e modelagem, todavia, baseio-me na aparência, se é agradável ou não. No caso da Tufi Duek, a coleção vem muito sem sal e sem açúcar, os tecidos de aparência metalizada, e os cortes retilíneos, não valorizaram o corpo feminino, o que transparece uma falta de harmônia entre as partes.

Erika Ikezili

Se tem uma coisa que eu não gosto é muitas estampas, e foi assim, que a estilista Erika Ikezili abriu seu desfile, mas, logo depois, aparecerem roupas com estampas “menos pesadas”, clareando a passarela com tons menos abrasivos.

Priscilla Darolt

Apostou na silhueta retilínea, nas formas geométricas e no minimalismo. Em minha breve opinião, sua coleção deixa a desejar, apresentando uma certa repetência nos looks.

Rosa Chá

Sob os comandos do ilustre Alexandre Herchcovitch, a Rosa Chá, expõe em minúcia a magnitude do que chegará às lojas no quesito beachwear. O desfile explana glamour e nos remente ao prêt-à-porter parisiense.

Reserva

Colorido, Califórnia, surf, skate e até formas geométricas apareceram no desfile da Reserva. Muita informação em um só look, pouca em outros. E estampa de leopardo, pra mim, remete ao guarda-roupa feminino, todavia, eu gostei muito das t-shirts.

Cia Maritima

“O beachwear brasileiro é famoso mundialmente por três motivos: as estampas-desejo, a modelagem inovadora e, é claro, as modelos-deusas. Benny Rosset, diretor criativo da Cia. Maritima, não acertou na mosca em nenhum dos três alvos.” (Extraido do site FFW)
Acho que não preciso dizer absolutamente nada.

Fashion Rio – 6º dia

5 jun

O sexto e, último dia de Fashion Rio, aconteceu na última terça-feira, dia 01.06.10.

Triya

Estamparia e modelagem resumem o desfile de beachwear da estilista Isabela Frugiuele. As estampas lembram os tigres asiáticos e a África. E foi assim que a grife incendiou o desfile, aquecendo o frio e nublado Rio de Janeiro.

Lucas Nascimento

Em um verão super-elaborado e muito elegante. Sua cartela sai do óbvio e passeia pelo preto, tons fechados de vinho, azul, vermelho e um amarelo mais vivo.

Andrea Marques

Em sua segunda apresentação no Fashion Rio, a estilista fala de um tropicalismo feminino sofisticado sem precisar de clichês.

Téca

Helô Rocha – estilista – olhou para sua cidade de origem, Natal – RN, e extraiu suas inspirações para a nova coleção. Apresenta fios como linho, seda e algodão suíço para dar uma elegância onipresente na peças. Mistura de florais e militarismo.

New Order

Nada fácil mostrar apenas acessórios quando todas as outras marcas estão desfilando roupas. Porém, a New Order deu luz ao Píer Mauá com seu jardim eletro-pop-rock-tônico.

Isabela Capeto

 Autoral, com suscetibilidade na estamparia (liberty, lenço, orquídeais, tie dye, psicodélico, listras, flores indianas) e cores otimistas, abrindo o desfile com o azul. Nas minúcias, conchinhas, fitas, miçangas, búzios, sempre docemente.

 

Fashion Rio – 4º dia

4 jun

Domingo, 30 de Maio de 2010.

Blue Man

Depois de mais de um ano longe das passarelas, após a morte do fundador da marca, a Blue Man retorna cheia de vida. Com atrações que fizeram ferver o sangue de quem estava presente.

Filhas de Gaia

Marcando a terceira coleção inspirada na silhueta estruturada no qadril, o que evidência uma falta de idéias.

Cavendish

Em busca de algo tão paradisíaco, a Cavendish acabou perdendo  o “fio da meada”, o que tornou a coleção simples.

Melk Z-da

Um desfile forte, firme e corajoso. Tomando como referência danças regionais brasileiras em processo de extinção. A coleção vai do rock’n’roll ao esportivo, do paetê ao “nude”, dos tecidos nobres aos “pobres”, dos óculos falsificados…

Oestúdio

Tentou traduzir as manias das pessoas para as roupas, ou seja, o comportamento humano e a moda.

TNG

O foco nas geometrias e o duelo sempre entre duas cores, resultou num desfile de tirar o fôlego. Como a coleção passeia por diferentes décadas ela propõe diferentes silhuetas.